Mitos e verdades sobre software de gestão para clínicas



Quando um médico opta por ter a sua própria clínica, assume uma nova responsabilidade profissional: empreender. Além de ser um ótimo médico, é preciso saber gerir o espaço, olhando para ele como uma empresa, que precisa ser conduzida estrategicamente. O software de gestão para clínicas existe justamente para auxiliar nesse sentido, mas ainda é envolto em muitas dúvidas.

Veja quais são os principais mitos e verdades sobre esse tipo de software.

CUSTA MUITO CARO: MITO
É comum que os profissionais que abrem suas clínicas não pensem em instalar um software de gestão específico achando que o custo é alto. As empresas que disponibilizam esse serviço contam com diferentes formatos e valores distintos, que se adéquam melhor aos orçamentos.
     Além disso, um programa que torne a gestão mais eficiente vai reduzir custos de retrabalho e até de pessoal. É preciso pensar no custo/benefícioproporcionado.

PRECISAREI ADQUIRIR VÁRIOS SOFTWARES PARA A GESTÃO: MITO
Nem todo software de gestão é igual. Existem os que são voltados para consultórios, outros para clínicas e outros para hospitais, respeitando a dimensão de cada espaço. E cada empresa disponibiliza recursos diferentes dentro do programa. O Lifeone, por exemplo, oferece 42 módulos, para cobrir todos os aspectos de clínicas a hospitais, acompanhando seu crescimento.

A IMPLEMENTAÇÃO É MUITO COMPLEXA: MITO
Esse é um receio comum, especialmente por parte dos médicos que já têm suas clínicas há muitos anos. A maioria dos softwares modernos funciona no modelo SaaS (Software as a Service). Isto significa que ele fica armazenado em um datacenter seguro (nuvem) e não localmente e que você começa a utilizá-lo imediatamente após a contratação, bastando para isso acessá-lo através de seu browser de internet. Não é necessário a compra de servidores, nem a presença ou assessoria de técnicos para instalação do software.
     Durante o período de implementação do software, a transferência dos dados do papel para o computador pode ser feita de forma gradativa. Normalmente, as informações dos novos pacientes já vão sendo colocadas direto no software. E no caso dos antigos, conforme eles vão retornando para as consultas seus dados também vão sendo inseridos no novo sistema.

OS DADOS FICAM PROTEGIDOS: VERDADE
As informações da clínica, profissionais e pacientes continuam sendo protegidas. A empresa que desenvolve e fornece o software de gestão para clínicas não pode armazenar nenhum dado sem a permissão do cliente. Apenas os profissionais autorizados a mexer no software terão acesso ao que é registrado na plataforma. O acesso de cada funcionário ou médico é restrito ao seu perfil autorizado de trabalho.

FALTA DE SUPORTE: MITO
Ao fechar negócio com uma empresa fornecedora séria, você sempre vai contar com suporte qualificado. Seja para contornar alguma dúvida ou dificuldade na operacionalização do software ou até problemas técnicos depois que o mesmo estiver em pleno funcionamento. Aliás, antes mesmo de finalizar a compra, pergunte quais são os canais de atendimento, para já ter essa segurança.

SOFTWARES DE GESTÃO PARA CLÍNICAS SÃO MUITO SEGUROS: VERDADE
O acesso ao software exige 2 dados para autenticação, que são o login e a senha, o que já é um fator limitante. No caso do Lifeone, os dados ficam todos armazenados na nuvem, portanto, se o espaço sofrer qualquer problema estrutural (um incêndio, por exemplo), as informações não serão perdidas. O Lifeone por exemplo, utiliza a plataforma de cloud (nuvem) Azure da Microsoft.

Entre em contato conosco para saber sobre nosso software e escolher a versão que mais se adequa ao seu negócio.
Editorial, 09.OUTUBRO.2018 | Postado em Gestão


  • 1
Exibindo 1 de 1