Dia Internacional da Segurança do Paciente: colocando em prática



Neste dia 17 de setembro é celebrado o Dia Internacional da Segurança do Paciente. A data foi criada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), da ONU, para conscientizar a comunidade sobre a importância de promover a segurança do paciente. Para isso, foi criada uma campanha pela OMS, com o tema “Segurança do Paciente: uma prioridade global de saúde”, que segue o slogan “Falemos todos pela Segurança do Paciente” (Speak up for Patient Safety).

A campanha visa mobilizar pacientes, profissionais de saúde, formuladores de políticas, acadêmicos, pesquisadores, redes profissionais e o setor de saúde para tornar o cuidado de saúde mais seguro para os pacientes.
 

Movimentações no Brasil


A Sociedade Brasileira para a Qualidade do Cuidado e Segurança do Paciente (SOBRASP) é uma das entidades que se mobilizou em prol da iniciativa, sugerindo a adoção de diversas ações. Uma das propostas é o uso das hashtags sugeridas pela OMS: #DiaMundialdaSegurançadoPaciente, #SegurançadoPaciente, e #FalemostodospelaSegurançadoPaciente.

Lifeone também está se envolvendo, adotando campanhas nas redes sociais, produção de conteúdo e trabalhando ações de conscientização para aprimorar a compreensão global do tema e estimular a solidariedade e a ação entre os clientes da solução.

“Todos os envolvidos podem ajudar, não apenas quem lida diretamente com o paciente, como o médico, o enfermeiro ou o Auxiliar. Na área de tecnologia lidamos com uma série de processos mecanizados e impessoais, e muitos tendem a se distanciar das noções de humanidade e bem-estar do público. Nós de Lifeone estamos aqui na contramão desta propensão, demonstrando, como solução tecnológica para a saúde, nosso apoio a essa importante campanha da OMS”, afirma Jorge Brandão, CEO da Solução Lifeone.
 

Como agir pela Segurança do Paciente


Tomando como base as orientações e sugestões da própria ONU, selecionamos algumas atitudes que podem ser tomadas em sua unidade de saúde:
 
  1. Para profissionais de saúde, como médicos:

 
  • Engajar os pacientes atendidos nos seus cuidados;
  • Trabalhar junto à equipe para a segurança do paciente em todas as alas, principalmente as de cuidado mais intensivo;
  • Garantir o desenvolvimento profissional contínuo para melhorar as habilidades e conhecimentos em segurança do paciente;
  • Criar uma cultura de segurança aberta e transparente nos modelos de assistência médica;
  • Incentivar a criação e utilização de relatórios individuais, de equipe e autoavaliações para aprender com os erros. 
 

2. Para gestores de TI:

 
  • Incentivar a comunicação entre os funcionários da área de tecnologia e desenvolvimento, captando novas ideias para a criação de indicadores que possam medir os níveis de segurança do paciente;
  • Envolver-se com o tema, refletindo se as funcionalidades dos recursos tecnológicos utilizados na unidade de saúde contribuem para a segurança do paciente;
  • Criar canais de feedback para que as demandas do paciente possam ser recebidas de forma mais efetiva;
  • Ter sempre em mente que os trabalhos com tecnologia têm como fim o benefício da pessoa natural. 
 

3. Para gestores administrativos:

 
  • Lembrar-se que investir na segurança do paciente resulta em economia financeira, salva vidas e cria confiança; resultando em vários indicadores positivos para a clínica, hospital ou consultório;
  • Tornar a segurança do paciente uma prioridade das ações de promoção à saúde;
  • Oferecer oportunidades de aprendizado e desenvolvimento para a segurança do paciente para os diversos membros das equipes;
  • Incentivar a pesquisa em segurança do paciente;
  • Realizar atividade no dia 17 de setembro, reunindo pacientes e familiares, profissionais, gestores, além de outras partes interessadas;
  • Incentivar a utilização dos cartazes da OMS sobre o Dia Mundial da Segurança do Paciente.

Outros elementos da Campanha para o Dia Mundial da Segurança do Paciente podem ser acessados no site da OMS.
 
Editorial, 15.SETEMBRO.2019 | Postado em Gestão


  • 1
Exibindo 1 de 1